Adil Rashid assume o papel de jogador-chave na Copa do Mundo da Inglaterra

No Adelaide Oval, na quinta-feira, um spinner de 18 anos, com cabelos ruivos e um maldito erro, enviou a fraternidade australiana de críquete para uma espécie de espuma.

Lloyd Pope tornou-se o jogador mais jovem da história do Sheffield Shield a reivindicar sete lances, atacando os batedores de Queensland da mesma forma que os rookies da Inglaterra ao eliminar oito deles durante a Copa do Mundo Sub-19, em janeiro. feridas na Índia e pode olhar para o Sri Lanka Leia mais

Uma rápida rolagem pelas linhas de mídia social tanto então como agora revela que, aos olhos de muitos na Austrália, uma estrela nasceu e é apenas uma Em questão de tempo, antes que as atraentes fechaduras do papa tenham um gorro verde em cima delas.

Quase 5.000 milhas de distância, em Colombo, outro homem sabe muito sobre o hype que sua turma costuma ter. gerar com sucesso precoce.Adil Rashid, que se anunciou ao críquete inglês aos 18 anos de idade com seis wickets em sua estréia no Yorkshire County em 2006, nunca tinha ouvido falar do papa antes, mas ter consciência de sua façanha, no entanto, está pregando paciência e resfriamento geral dos jatos.

“Há prós e contras [para o sucesso inicial]. Você quer que ele desenvolva suas habilidades e, à medida que envelhece, amadurece e melhora ”, diz Rashid. “Eles dizem que os spinners se desenvolvem no final dos 20 e início dos 30 anos. Então, é sobre garantir que, se ele entrar na equipe da [Austrália], ele não seja afetado pelo hype, sabendo que ele deve seguir os passos de Shane Warne. Isso poderia ser uma rota perigosa para cair. ”The Spin: inscreva-se e receba nosso e-mail semanal de críquete.

Rashid é o agora amadurecido coordenador de pernas do qual ele fala.Um prodígio que obteve as comparações Warne logo no início, ele agora tem 30 anos e prosperou sob a capitania de Eoin Morgan, é inquestionavelmente o jogador mais importante da Inglaterra indo para a Copa do Mundo no próximo verão.

últimos anos, ele começou a entender completamente a arte de trabalhar um batedor. Depois de aprender, em suas próprias palavras, “treinar de forma mais inteligente”, ele não só está equipado com todas as ferramentas, mas também sabe quando implantá-las, de modo que apenas o revolucionário Rashid Khan do Afeganistão pode melhorar seus 116 wickets de um dia desde o início. última Copa do Mundo. A admissão de Rashid foi “uma montanha-russa” durante esse período, e não menos importante nos últimos 12 meses.Ele se tornou objeto de debate público no verão quando foi chamado de volta para o lado Test pelo seletor nacional, Ed Smith, apesar de ter assinado um contrato com o Yorkshire. O futuro de seu condado mergulhou em dúvida, pois a hierarquia dificilmente escondia sua frustração. Adil Rashid apela com sucesso para o postigo do Kusal Mendis do Sri Lanka durante o quarto ODI. Foto: Lakruwan Wanniarachchi / AFP / Getty Images Desde então, Rashid resolveu seu futuro em Headingley com um novo contrato de um ano; Um tipo de brinde para o clube agora Inglaterra lhe deu um contrato central.Sangue ruim entre ele e o treinador, Andrew Gale, que em parte se deve a ele perder o título de campeão em 2016, a fim de descansar para a Inglaterra, também se recuperou. “Eu estive lá. desde que eu tinha 11 anos de idade. No meu coração, isso foi o lar para mim. Sair teria sido uma decisão difícil ”, diz Rashid. “Você tem altos e baixos como jogador e treinador, mas nos sentamos e conversamos. Sempre haverá tensão ou atrito [ocasional], mas é bom saber que está para trás. Espero que possamos ter uma boa amizade. Por agora está tudo bem. ”Austrália ultrapassa o Paquistão no primeiro internacional T20 feminino Leia mais

O controverso teste de Rashid contra a Índia foi tranquilo em meio a um verão dominado pelos seamers (uma queda de pernas de cair o queixo na tigela KL Rahul no Oval não obstante).E dos seus 500 wickets de primeira classe, os 48 que vieram em 15 testes custaram 40 corridas cada. Mas depois de mais uma exibição impressionante na vitória por 3×1 no Sri Lanka, as expectativas aumentarão após a vitória na rodada.

Rashid admite que tais pressões chegariam a ele no passado. mas a vida familiar e uma compreensão mais profunda de sua fé estão agora em jogo, pois ele trata cada partida da mesma forma, junto com o apoio de seu amigo íntimo Moeen Ali e a decisão de sair das redes sociais.

, cujas famílias são originárias da região de Mirpur, no Paquistão, dificilmente são vistas em turnê.Seu duplo sucesso não é coincidência e Rashid está bem ciente do papel que está desempenhando enquanto a Inglaterra e o País de Gales Cricket Board tentam trazer mais jogadores britânicos e asiáticos para o mainstream após décadas de negligência.

Rashid diz: “Temos um grande apoio, especialmente na comunidade asiática, seja Bradford, Birmingham ou Paquistão. Nos seus dias mais jovens você joga sozinho, mas como você representa a Inglaterra, você viaja ao redor do mundo e percebe que é um pouco maior que isso. As pessoas olham para você, por isso, é um bom exemplo, então, quando elas estiverem passando, elas verão e saberão que isso é possível. “